Ano Novo Chinês

30 01 2011

O bom de morar em uma cidade multicultural como São Paulo é a possibilidade de sair do país sem ter que sair do país, se é que me entende.

Esperei de propósito juntar duas datas importantes (aniversário de São Paulo e Ano Novo Chinês) e matei dois coelhos com uma cajadada só, registrando a festa chinesa no bairro da Liberdade e testemunhando mais uma faceta de Sampa City.

E falando em coelhos, este é o ano do Coelho, um ano em que segundo as características deste signo na mitologia chinesa, o diálogo tende a prevalecer.


O palco montado na Praça da Liberdade exibe um enorme banner com a muralha da China.

Saindo da estação Liberdade do metrô a sensação é de desembarcar em uma mini Xangai.

Debaixo de um sol fortíssimo de verão, próximo ao meio dia, uma infinidade de pessoas desfilavam experimentando a culinária chinesa e comprando os famosos souvenirs, largamente expostos. Eu mesma não resisti e comprei um quimono lindíssimo!

Depois das compras veio o desfile dos dragões chineses e a tradicional dança dos leões, que exorcizam os maus espíritos com movimentos ritmados pelos tambores, além de invocar sorte e felicidade ao ano que se inicia.


Dança dos Leões


Desfile dos Dragões


Desejo a todos um FELIZ ANO NOVO! E um FELIZ 4709!

Anúncios




Mercado Municipal de São Paulo

22 03 2010

Mercado Municipal de São Paulo

“Mercado Municipal de São Paulo”, foto by Luciana Muniz.

Frutas do Mercado Municipal de São Paulo

 





Sampa City

8 02 2010

Confesso que faço parte do time que larga o pau toda vez que chove e a cidade, já naturalmente insana, turbina seus índices de loucura e caos. Porém existem os dois lados da moeda. A relação atração/repulsão faz parte dos gostos refinados de todos os escorpianos, raça maldita à qual faço parte. Contudo não estou aqui para falar das diversas facetas dos escorpiões, isso fica para outro texto.

Estou aqui prá falar da cidade em que vivo, que venero e que odeio com igual intensidade. Aquela que defendo com unhas e dentes quando algum forasteiro fala mal e que enumero suas qualidades quando estou fora do seu domínio.

Com o tempo aprendi que o caos, o barulho e a correria fazem parte da sua grandiosidade, afinal de contas é impossível um gigante passar despercebido. E olhando com um pouco mais de atenção, dá para notar que não apenas o concreto e o cinza chuvoso fazem parte do seu cenário, também há espaço para as cores, o belo e o artístico.

Pensando nisso resolvi fotografar (amadoramente, é claro) as faces distraídas de Sampa City, lugares interessantes de visitar, conhecer, saber da história.

O primeiro cenário escolhido foi o Museu Paulista da USP, mais conhecido como Museu do Ipiranga, um lugar que frequento desde a infância. Com ele inauguro a série “Sampa City”, sempre com uma foto de um lugar interessante da cidade.

 

Museu do Ipiranga

“Museu do Ipiranga”, foto by Luciana Muniz.