Ecoturismo Carnavalesco

19 02 2010

Que ziriguidum que nada! Carnaval é bom ou para viajar ou para descansar, mas em qual das duas opções apostar? Sempre apostei em descansar e organizar minha eterna bagunça, porém este ano foi diferente, resolvi apostar em algo digamos… mais emocionante…

Quer dizer que a “bonequinha delicada” vai fazer ecoturismo e esportes radicais?

Vai fazer não! Já fez!

Se valeu a pena?

Bem, acredito que uma imagem vale por mil palavras, confiram:


1º dia: Bóia Cross

O percurso é feito em grupos de quatro a seis pessoas, mais o instrutor. O objetivo é descer as corredeiras (nível leve) em cima de uma bóia.


Bóia-Cross

Momento de descanso antes de encarar as próximas corredeiras.


Bóia-Cross

Passando pelo rio


2º dia: Rafting

Aqui o objetivo muda um pouquinho, nada de individualidades. O que conta é o sincronismo dos remadores para executar os comandos e descer as corredeiras (nível leve e médio). Pisooooo! 😀


Rafting

Grito de Guerra: “Chá de Cogumelo!” (Não me perguntem como surgiu isso…)


Rafting

Preparados para a próxima corredeira.


3º dia: Arvorismo, Tirolesa e Rapel

O arvorismo consiste em chegar até a cachoeira roseira passando por diversos obstáculos, dentre eles treze atividades por cima das árvores, pequenos rios e mesmo cavalos correndo pelo campo. Em seguida vem a tirolesa e por ultimo o rapel com vista panorâmica para a cachoeira como recompensa.


Arvorismo

Arvorismo: A apressadinha de rosa lá na frente soy yo.



Rapel

Rapel: Descida pelo paredão antes de visualizar a cachoeira, tô de próxima!


Cachoeira Roseiral

Cachoeira Roseira: Enquanto eu descia de rapel vi um arco-íris!


4º dia: Eco-Tirolesa

O quarto dia foi um brinde bem vindo. Pelo cronograma da agência nossas atividades radicais tinham sido cumpridas, mas na fazenda onde ficamos havia a eco-tirolesa, uma tirolesa básica com direito a um “pseudo-mergulho” no lago.


Ecotirolesa

O instrutor apita e aguarda a resposta vinda do outro lado, é o sinal para ir em frente.


Ecotirolesa

Este é o lago, ponto final da eco-tirolesa


Depois da rodada de eco-tirolesa, ainda sobrou fôlego para uma voltinha no lago com o remo e a bóia usada no bóia-cross. Infelizmente não foi registrada esta parte porque lembrei da máquina fotográfica quando já estava na metade do lago. Os meninos ainda se aventuraram no caiaque.

O mais interessante após esta imersão no ecoturismo é que de volta à Sampa City os obstáculos “naturais”, criados pelas chuvas de verão aqui na cidade, ficam mais fáceis de aturar. :p