O Jogo do Eu

6 09 2010

Um livro que propõe de forma lúdica um dos caminhos para o autoconhecimento. Assim pode ser definido “O Jogo do Eu”, de R. D. Silva, livro em formato diferenciado (suas páginas são soltas), contendo exercícios propositalmente pensados para fazer refletir, conhecer e despertar a criança interior dos leitores.

Comprei motivada pela curiosidade de conhecer a proposta do autor e gostei bastante. Transcrevo aqui cinco exercícios realizados, que talvez sirvam de inspiração aos que se sentirem tentados a se conhecer melhor.

1) Faça!

Comece hoje algo que você está adiando há tempos. Tome aquela decisão que você receia e vem protelando. Acabe e algo que foi começado, mas nunca concluído. Defina uma situação que vem se perpetuando.

Para concluir este exercício refleti sobre tudo o que tenho pendente e decidi “atacar” apenas a parte literária, por enquanto. Fiz um planejamento de conclusão de cada um dos meus projetos literários e assim surgiu o projeto Alpha, cujo objetivo é reescrever uma versão melhorada de todos os meus romances. Baita exercício de aprendizagem e quem sabe no embalo não aparece um livro que mereça ser publicado?

2) Perceba a sua Pequenez

A humildade geralmente é associada à pobreza ou à submissão. Na realidade é a consciência da real dimensão de si mesmo. Somos vaidosos, atribuindo importância exagerada ao nosso ser. Pense na dimensão do universo, na quantidade de galáxias, na dimensão de nosso planeta perante nossa galáxia e de si mesmo perante o planeta. Lembre-se de que a distancia que separa o mais sábio dos homens do mais parvo é irrisória perto do que ambos desconhecem. Você consegue perceber qual dos micróbios em sua mão é o mais ilustre?

Da reflexão deste exercício fica a certeza de que Sócrates (não o jogador e sim o filósofo grego) sabia o que dizia quando falou: “Só sei que nada sei!”.

Preciso dizer mais?

3) Recorde uma experiência de sua vida que foi ruim na época e que hoje parece engraçada.

Rir de si mesmo é uma das maiores virtudes do ser humano. Recorde uma destas ocasiões e conte para seus amigos, rindo sinceramente.

Serve o dia em que achei que iria morrer por ter engolido um caroço de limão? Eu tinha seis anos e me lembro até hoje do meu desespero, que passou assim que o dia amanheceu e eu estava lá, vivinha!

4) Faça Ginástica

Hoje você deve arrumar um tempo para se dedicar a algum tipo de atividade física. Pratique um esporte, faça ginástica, yoga, natação ou simplesmente dê uma longa caminhada. Durante a atividade observe o comportamento do seu corpo, sinta seus ritmos, como a respiração, o batimento cardíaco e o fluxo do sangue em suas veias e artérias. Sue um pouco, mas não se violente. Identifique seus limites e respeite-os.

Uma longa caminhada já faria efeito, mas além dela a vivência do yoga é excelente para a percepção do nosso corpo. Os exercícios de respiração e meditação que acompanham a prática nos fazem perceber o quanto corpo, mente e espírito estão interligados. Aqui entendi que a consciência dos próprios limites é uma base forte para seguir adiante.

5) Cante uma canção do começo ao fim

Se você não sabe a letra pode lê-la, mas cante repetidas vezes até decorá-la.

Escolhi a música “Pista de Dança” da Adriana Calcanhotto, cuja letra pode ser lida (ou ouvida) aqui.

E cantarolando me despeço, ainda tenho um livro inteiro para ler! 😉

Anúncios

Acções

Information

9 responses

24 09 2010
Ma

Ahãm e me diz qual criança interior vc libertou, que ja nao estava livre??? rs rs rs
brincadeira Luluzita
bjs e saudades

26 09 2010
Luciana Muniz

Verdade né?
Isso me provou que estou no caminho certo. Vai uma minhoquinha cítrica aí? rs

Bjitos e saudades too! :*

27 09 2010
Átila Oliveira

Muito interessante.
O pior é que são coisas tão simples e das quais geralmente nos esquecemos. Como diz um velho provérbio chinês: “O mais feliz dos homens é aquele que cresceu sem perder o seu coração de criança”. Beijos.

29 09 2010
Luciana Muniz

Exatamente! Gestos simples, mas perfeitamente aplicáveis no dia a dia. 😉

Bjitos!

5 10 2010
pradoantonio

Olá Luciana!

Faz um ou dois anos que descobri você por acaso na internet, para variar, em um de meus difíceis momentos emocionais. Cheguei a comentar um post seu.

Assim como você, se não estou enganado, também sou Analista de Sistemas.

Sempre tive vontade de escrever um livro. Já imaginei inúmeros assuntos, variando de acordo com meu momento na vida.

Inspirado por você, recentemente criei um blog, aqui mesmo no wordpress e desde então tenho escrito o que sinto, o que penso em dado momento, com o intuito inicial de registrar meus sentimentos.

Gostaria que desse uma olhada no que tenho escrito, que me ajudasse a aprender a escrever. Quem sabe um dia posso almejar chegar próximo do que você realiza.

Sei que os textos estão depressivos, mas isto passa.
http://pradoantonio.wordpress.com/

Proverbio e Chuva foram enviados por amigos.

Se não for possível por qualquer motivo, eu realmente entenderei.

No mais, parabéns por seu trabalho.

6 10 2010
Luciana Muniz

Olá Antônio,

Sim, também sou analista de sistemas e percebo cada dia mais que mesmo pessoas da área de exatas também estão conseguindo mostrar seu lado mais humano.

Ser escritor (não é pré-requisito ter publicado um livro prá ser um escritor, eu mesma tenho oito romances escritos, nenhum publicado porque ainda não cheguei em um nível de qualidade que me agrade para oferece-los às editoras) é conseguir passar para o papel, de forma convincente, sentimentos, idéias, lições que, de alguma forma, vão acrescentar algo a quem ler.

Fico muito feliz por meus textos terem lhe inspirado a criar um blog, um espaço em que você possa exercitar seus textos, suas opiniões etc. Tenho certeza de que com o tempo você tende se refinar mais e mais.

Li seus textos, são muito bons e introspectivos e a dica que te dou neste momento é: Escreva, escreva, escreva e leia, leia, leia. Daqui um ano, quando você for ler os seus textos de hoje vai se surpreender com sua evolução. 😉

E obrigada por suas palavras e pela visita ao blog! 😀

3 01 2011
Retrospectiva de Leituras 2010 « L u c i a n a M u n i z

[…] O jogo do eu – R.D. […]

19 12 2012
Rubens

Olá, Luciana. Sei que o post é antigo, mas só o descobri agora. Sou o autor de O Jogo do Eu e me diverti muito com os seus exercícios. É muito bom saber que o meu trabalho tem trazido prazer e alguns benefícios às pessoas que decidem jogá-lo.

21 12 2012
Luciana Muniz

Olá Rubens,

Fico feliz que tenha se divertido com o post dos exercício praticados, eu também me diverti muito realizando-os! 😉

Valeu pela visita!

Sds,

Luciana

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s




%d bloggers like this: