Retrospectiva de Leituras 2012

25 12 2012

Mais um ano se passou. 2012 foi um ano de muitas conquistas, grandes aprendizados e a certeza de que ainda há muito o que aprender. Não alimentei a mais remota expectativa de que atualizaria este espaço ao longo do ano, porém há algo em que reluto não publicar: a lista de livros que consegui ler neste período. Está bastante enxuta para uma escritora – confesso – porém tentei ser o mais eclética possível, é parte da minha estratégia pessoal. 😉

– O guia do mochileiro das galáxias – Douglas Adams

– O restaurante no fim do universo – Douglas Adams

– A vida, o Universo e tudo o mais – Douglas Adams

– Até mais e obrigado pelos peixes! – Douglas Adams

– Praticamente inofensiva – Douglas Adams

– Os homens que não amavam as mulheres – Stieg Larsson

– A menina que brincava com fogo – Stieg Larsson

– A Rainha do castelo de ar – Stieg Larsson

– Gen Pés Descalços – O nascimento de Gen, o trigo verde – Keiji Nakazawa

– Gen Pés Descalços – O trigo é pisoteado – Keiji Nakazawa

– O jardim de ossos – Tess Gerritsen

– A Cabana – William P. Young

– Os arquivos de Sherlock Holmes – Sir Arthur Conan Doyle

– O livro da Bruxa – Roberto Lopes

– O guia do viajante inteligente – Erik Torkells

– O mistério da cripta amaldiçoada – Eduardo Mendoza

– Fahrenheit 451 – Ray Bradbury

– Steve Jobs – A Biografia – Walter Isaacson

– O nome da Rosa – Umberto Eco

– O livro dos Espíritos – Allan Kardec

– O livro dos Médiuns – Allan Kardec

– O Guia Politicamente Incorreto da Filosofia – Luiz Felipe Pondé

– A Revolução dos Bichos – George Orwell

– Abraham Lincoln – Caçador de Vampiros – Seth Grahame-Smith

– Eu, Christiane F., 13 anos, drogada, prostituída… – Kai Hermann e Horst Rieck

– Alice no país das maravilhas – Lewis Carroll

– O mágico de Oz – L. Frank Baum

– Sex and the City – Candace Bushnell

– Os delírios de consumo de Becky Bloom – Sophie Kinsella

– O diário de Bridget Jones – Helen Fielding

– O Diabo veste Prada – Lauren Weisberger

– A arte da ficção – David Lodge

– As Crônicas de Nárnia – C.S. Lewis

– Manual do Detetive Virtual – Wanderson Castilho

– A Bíblia das Bruxas – Janet e Stewart Farrar

– O Guardião da Meia Noite – Rubens Saraceni

– A Parisiense – Ines de La Fressange

Comecei o ano com “O Guia do Mochileiro das Galáxias”, série bastante festejada pelos nerds de plantão, tendo até mesmo o dia da toalha para comemorações. É engraçadinha, mas somente isso. Depois do segundo livro as piadas começam a dar sinais de monotonia e acabei lendo somente para fechar a série.

Depois fui apresentada à Lisbeth Salander, da Trilogia Millenium e, sim, virei sua fã incondicional! Nesta série provei um pouco de tudo que mais gosto na literatura: suspense policial, uma personagem feminina inteligente e durona e um enredo com histórias menores interessantes. Vale a pena!

Em certo momento decidi que queria uma série de mangá para chamar de minha e topei com a obra de Keiji Nakazawa (o autor faleceu este ano, no ultimo dia 19) na série Gen, Pés Descalços. Na minha opinião é leitura obrigatória para toda esta geração que não conhece as histórias de horror da segunda guerra mundial, uma lição sobre o que o homem é capaz, para o bem e para o mal. Li apenas os dois primeiros volumes (são dez no total) e gostei bastante.

Motivada pelas lembranças do mosteiro de Varlaan, na Grécia, li “O Nome da Rosa”. É uma leitura difícil, com muitas passagens escritas em latim, com todos os rituais diários de um mosteiro descritos minuciosamente na primeira parte, mas uma vez que se “pega o jeito” da história o enigma sobre a morte dos monges vai te conduzindo para um desfecho interessante.

Me diverti horrores com “O Guia Politicamente Incorreto da Filosofia” e com “A Revolução dos Bichos”, dois livros que valeu a pena ler e sérios candidatos a uma releitura, qualquer dia desses.

“Eu, Christiane F., 13 anos, drogada, prostituída…”, fez com que eu torcesse desesperadamente pela recuperação da Christiane, mas… Na minha visão os pais deveriam incentivar seus filhos a ler este relato, mostra como a curiosidade pode matar o gato.

Depois de leituras tão densas tomei uma dose de ‘leituras para mulherzinhas’, para dar uma equilibrada. Bridget Jones, Becky Bloom, Carrie e Andrea me fizeram companhia durante um mês. Dos quatro livros gostei mais de “O Diabo veste Prada” e fiquei sem entender como um livro tão sem graça como “Sex and the City” deu origem a uma série tão divertida.

Passeei também pelos campos verdejantes da literatura infantil e eliminei o pecado de não ter lido ainda “O mágico de Oz”, “Alice no país das maravilhas” e “As Crônicas de Nárnia”.

E é isso. Ano que vem tem mais, muito mais! 😉

Anúncios




Retrospectiva de Leituras 2011

19 12 2011

Confesso que este ano não fui assídua na atualização do blog, vários projetos em andamento me fizeram não dar a devida atenção a este espaço. Porém como já é de praxe, apresento a retrospectiva de leituras deste ano, afinal até dá para adiar a escrita, mas a leitura não! 😉

– A Batalha do Apocalipse – Eduardo Spohr

– Banquete com os Deuses – Luis Fernando Veríssimo

– Édipo Rei – Sófocles

– Fábulas – Esopo

– Micromegas e outros contos – Voltaire

– Orgias – Luis Fernando Veríssimo

– Tratado sobre a Tolerância – Voltaire

– Dr. Negro e outras histórias de terror – Arthur Conan Doyle

– Comédias para ler na escola – Luis Fernando Veríssimo

– O Jardim do Diabo – Luis Fernando Veríssimo

– Palavras de Sabedoria – Dalai Lama

– Assassinato na Academia Brasileira de Letras – Jô Soares

– Morangos Mofados – Caio Fernando Abreu

– Memória de minhas putas tristes – Gabriel Garcia Marquez

– Os devaneios do caminhante solitário – Jean Jacques Rousseau

– Piratas de Dados – Bruce Sterling

– De Roswell a Varginha – Renato Azevedo

– Água Viva – Clarice Linspector

– Uma breve história do Mundo – H.G. Wells

– A queda de Atlântida – A teia da luz – Marion Zimmer Bradley

– A queda de Atlântida – A teia das trevas – Marion Zimmer Bradley

– Os Ancestrais de Avalon – Marion Zimmer Bradley

– A Megera Domada – William Shakespeare

– O morro dos ventos uivantes – Emily Brontë

– Como manipular pessoas – Robert-Vincent Joule e Jean-Léon Beauvois

– Os Corvos de Avalon – Marion Zimmer Bradley

– O médico e o monstro – R. L. Stevenson

– Uma estação no inferno – Artur Rimbaud

– A Orgia dos Duendes – Bernardo Guimarães

– A Cartomante – Machado de Assis

– Perdas e Ganhos – Lya Luft

– A Casa da Floresta – Marion Zimmer Bradley

– A Senhora de Avalon – Marion Zimmer Bradley

– A Sacerdotisa de Avalon – Marion Zimmer Bradley

– Tempos de Algória – Richard Diegues

– A fantástica literatura Queer Vol.Vermelho – Vários Autores

– Contos e Lendas do Egito Antigo – Brigitte Évano

– Histórias de fantasmas – Charles Dickens

– Admirável Mundo Novo – Aldous Huxley

– A Guerra dos Tronos: As crônicas de gelo e fogo – George R.R. Martin

– A droga do amor – Pedro Bandeira

– O fantasma de Canterville – Oscar Wilde

– A esfinge sem segredo – Oscar Wilde

– Histórias da meia noite – Machado de Assis

– O livro maldito – Christopher Lee Barish

– Quebra Tudo! – Ricardo Jordão

– Contos de Fadas – Perrault, Grimm, Andersen e outros

– A noite das Bruxas – Agatha Christie

– A fantástica literatura Queer Vol. Laranja – Vários Autores

– Dália Negra – James Ellroy

– Sobre histórias de Fadas – J. R.R. Tolkien

– O Perfume, a História de um assassino – Patrick Suskind

– A Paixão segundo G. H – Clarice Linspector

– Extraneus 1: Medieval Sci-Fi – Vários Autores

– Extraneus 2: Quase Inocentes – Vários Autores

– Extraneus 3: Em nome de Deus – Vários Autores

O ano de leituras começou bem com a “Batalha do Apocalipse”, de Eduardo Spohr, um livro com enredo longo, mas muito interessante e bem amarrado, que merece toda a badalação feita em torno dele.

Comecei a ler também livros dos filósofos do iluminismo, Voltaire e Rousseau. Voltaire, sempre afiado e irônico com suas “Micromegas e outros contos”, mas que na verdade conquistou minha atenção com o “Tratado sobre a Tolerância”. Já seu desafeto Rousseau, cujas linhas me fizeram imagina-lo como um filósofo incompreendido e constantemente perseguido por inimigos, me ganhou pela empatia, curti muito “Os devaneios do caminhante solitário”. Na verdade meu intuito é entender o pensamento destes filósofos como parte da pesquisa para um romance que, se tudo correr conforme o planejado, será escrito em 2012.

Foram muitas leituras boas em 2011, mas a que mais gostei foi, sem dúvida “A queda de Atlântida – A teia da luz”, da Marion Zimmer Bradley. Na verdade este é o primeiro livro do que costumo chamar de mega saga de Avalon, onde ao longo de 11 volumes os fãs das histórias de Sacerdotisas, Magos e busca espiritual conhecem a trajetória de diversos personagens que, após muitas vidas, aparecem renascidos nas Brumas de Avalon.

Foi muito legal ler também “Tempos de Algória”, do Richard Diegues, primeiro livro dentro do Universo de Todos os Olhos e que faz crossover com o Universo da Serpente Sagrada, cenário do meu livro com sabor de mitologia grega, a ser publicado em 2012.

Fui fisgada pela saga da Guerra dos Tronos! Apesar de ter lido apenas o primeiro volume, deixo a promessa de ler os demais no próximo ano, esta sei que não será difícil de cumprir.

Ah! E ganhei de presente de um colega de trabalho muito talentoso e querido (bjitos Douglas!) o livro “Quebra Tudo!”, do Ricardo Jordão, com dicas maravilhosas para o dia a dia do mundo corporativo e por que não também para os demais aspectos da vida?

E descobri que além de curtir romances policiais, agora também me apaixonei por romances policiais no melhor estilo noir. O culpado? James Ellroy com seu romance “Dália Negra”. Claro que já tenho outro romance dele nos planos de leitura de 2012: “Los Angeles, Cidade Proibida”. Aposto que será diversão garantida!

Outro livro que veio quase na sequencia de leituras foi “O Perfume, a História de um assassino”, do Patrick Suskind, uma história muito bem elaborada, com descrições perfeitas. O leitor quase pode sentir os aromas descritos por Suskind, maravilhoso!

E é isso. Ano que vem tem mais, muito mais! 😉